Site cataloga, ordena e monta playlists de todos os gêneros musicais existentes

Você está preparado para explorar um universo que nem imaginas que exista?

Turntablism, Warm Drone, Duranguense, Fallen Angel e Filthstep. Alguns destes cinco termos lhe é familiar? Acredito que para 99.8% dos leitores desta publicação, a resposta será não, mas acredite: estas palavrinhas estranhas são denominações para gêneros musicais.

Antes de mais nada, não, não os estou inventando. Estes são apenas alguns exemplos da imensidão musical que o site Every Noise at Once  possui. Ao todo são 1742 gêneros, meta-gêneros, sub-gêneros e micro-gêneros (e você pode adicionar mentalmente aqui mais classificações para a palavra) mapeados e jogados numa “nuvem” de tags – e esse não é um número definitivo, pois a coisa “tende a aumentar”.

Primeiramente, é bom desmistificar o estigma que “música” é a representação sonora de melodias belas e bem construídas. É isso também, mas não é SÓ isso. O próprio nome do site, “every noise”, evidencia o que afirmo. Música é toda a conjuração de sons e silêncio por regras variáveis e subjetivas (e já naturalmente harmoniosa pelo contexto individual que é desenvolvido), independente de ser agradável ou não. Entre os inúmeros exemplos dessas formas musicais mais abstratas (ou “anti-música”, para muitos) está o próprio noiseque. como o nome já indica, explora sonoridades ruidosas.

Voltando ao site, essa ferramente pouparia muito o tempo de quem passou a era da internet caçando bandas em debates nas comunidades do Orkut e em uploads do MySpace, ou mesmo em redes ainda não sepultadas e criadas especificamente para isso – como o last.fm, o Bandcamp e o Rate Your Music. O Every Noise at Once foi criado pelo engenheiro Glenn McDonald e tem um mapa de gêneros gigantesco que permite que você descubra alguns exemplos sonoros ao clicar em cada um deles.

Página que se abre ao clicar no gênero melodic death metal. Perceba a enormidade de artistas que surgem entre os exemplos no organograma.

Mas não é só isso. Ao clicar sobre o “>>”, ao lado de cada estilo musical, abre-se uma nova página, num novo meta-gráfico, com vários artistas que se encaixam mais ou menos nesse gênero, sendo possível ouvir um trecho aleatório de cada artista listado na opção “scan” e ouvir uma das três playlists para cada sub-grupo no aplicativo de streaming Spotify – uma delas contendo uma demonstração geral da sonoridade; outra, chamada “intro”, servindo como uma introdução ao estilo, e uma última, nomeada “pulse”, com uma seleção de faixas para quem já é fã e possui familiaridade com aquilo. No rodapé do site, também há formas diferentes de catalogação, como por país ou região, e há como buscar pelos mais mainstream, mais underground, etc.

É bom destacar que a visão meio confusa desse organograma tem ainda assim um certo sentido de organização: quanto mais embaixo, mais orgânico, quanto mais acima, mais eletrônico, quanto mais à esquerda, mais denso e atmosférico, quanto mais à direita, mais “direto”.

“Siga qualquer caminho, não importando quão improvável ele possa parecer, e você encontrará um vale escondido com uma centena de bandas que estiveram lá por anos (…) Você pode querer não abandonar sua vida antiga e ficar onde esteve para sempre, mas voltará para casa sabendo que há outras formas de viver”

Glenn McDonald, responsável pelo Every Noise At Once.

Gostou do conteúdo?


Curta a nossa fanpage no Facebook:  
e siga-nos no Twitter:  

O Metranca agora está aceitando conteúdo enviado pelos leitores!
Confira em: https://coletivometranca.com.br/contribua-com-o-metranca/

Veja Também

Giovanni Cabral
Sobre Giovanni Cabral 39 Artigos
Um genuíno caipira hipster das sombras que aprendeu a lidar melhor com os seus fracassos do que com qualquer vitória ilusória. Aqui e em outros escombros da internet, sou divulgador, pseudo-crítico e produtor de arte.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*