Gundam Wings Endless Duel: o game que representa os Gundans

 

Fala, galerinha!
Hoje vou trazer um jogo que é da minha área: luta. Não é porque sou praticante de Karatê, não. É que sempre me identifiquei com os jogos de lutas. Na verdade, acho que não tenho uma preferência, mas tive um contato maior com as lutas por conta dos fliperamas também (saudades do tempo de King of Fighters 97).

Sinceramente, não sou muito fã do Super Nintendo. Não gostava dos gráficos de alguns jogos, da jogabilidade e do próprio controle (quem jogou com um joystick de 6 botões do Mega, sabe do que estou falando), mas um game que marcou e deixou saudades foi o Gundam Wings Endless Duel. O jogo, produzido pela gigante japonesa Bandai, foi inspirado no anime Mobile Suit Gundam. Para quem não conhece, Gundam é uma franquia de animação japonesa criada por Yoshiyuki Tomino e Hajime Yatate em 1979. O desenho traz um monte de robôs gigantes travando batalhas épicas e muita ficção científica. Dica: quem gosta de anime com muita ação, é um prato cheio; vale a pena assistir. Uma lembrança boa que tenho dos Gundans são os bonecos produzidos pela Bandai. Os robôs vinham separados em peças e você tinha que montá-lo da cabeça aos pés, tipo os brinquedinhos do Kinder Ovo (deixei um link do vídeo no final do texto).

Bem, como disse, o jogo foi produzido pela Bandai, e qualquer coisa que essa máquina japonesa coloca a mão, fica bom, e Gundam Wings Endless Duel não é diferente. O jogo se resume em pancadaria entre robôs e nada mais (aí que encontrei a falha). Não possui o tradicional modo história, o que deixa o game meio sem sal, mas Mortal Kombat ou Street Fighter, por exemplo, não têm e nem por isso deixou de fazer sucesso, mas, pelo contexto todo e a tradição que o nome Gundam carrega, seria legal fazer um history mode do tipo do Fatal Fury, por exemplo. Aaah! Mas isso é o de menos.

O jogo traz 9 personagens selecionáveis e 1 secreto. É possível perceber que a Bandai usou a plataforma gráfica do Mighty Morphin Power Rangers – The Fighting Edition no Gundam Wings (o Power Ranger foi lançado em 1995 e o Gundam em 1996), mas os personagens possuem características do anime, isto é, os golpes e o formato dos robôs seguem o molde do desenho. O pessoal trabalhou muito bem nesse jogo, capricharam mesmo nos detalhes, do som aos gráficos e até mesmo na abertura. Uma coisa que me chamou a atenção é que cada robô tem a sua especialidade. Por exemplo, o Wing Zero é um personagem super equilibrado e, na minha opinião, um dos melhores para se jogar, Shenlong é muito ofensivo, Mercurius tem uma excelente defesa, e assim por diante. Gundam Wings Endless Duel só foi lançado no Japão (vale lembrar que o SNES no Japão é Super Famicom).

Ficou interessado? É só conferir os links abaixo.

Até a próxima!

Se quiser jogar Gundam W Endless Duel online, é só clicar aqui

Saca como é Gundam Wings Endless Duel

Aproveitando o gancho, olha esse vídeo do “monte o seu próprio Gundam”

Se quiser saber como é o anime, é só dar uma olhada no vídeo abaixo

 

Gostou do conteúdo?


Curta a nossa fanpage no Facebook:  
e siga-nos no Twitter:  

O Metranca agora está aceitando conteúdo enviado pelos leitores!
Confira em: https://coletivometranca.com.br/contribua-com-o-metranca/

Veja Também

Adolfo Bonucci
Sobre Adolfo Bonucci 8 Artigos
Possui formação em jornalismo pelo Bom Jesus Ielusc. É atleta da seleção catarinense de Karatê e acadêmico de Educação Física. Ama ouvir música e conhecer novos sons e lugares. Sempre que pode, marca presença nos eventos de Metal, seja em festivais ou aquele showzinho underground no boteco da esquina. Ah! Perceberam, né? O seu gênero musical preferido é o Metal.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*