Donkey Kong: o gorila mais amado dos 16 bits

Buenas, pessoal!

Faz tempo que não posto, né, gente?! As correrias do dia a dia e o foco tiraram um pouco do meu tempo, mas hoje tô aqui de novo! E onde tem banana, tem macaco. Rs! Então, bóra falar da macacada mais querida dos 16 bits. Bem, na real tem um gorila no meio. O jogo de hoje é o famosíssimo Donkey Kong.

A história do jogo não tem nada de diferente da tradicional mocinho vs vilão. Um crocodilo chamado King K. Roll rouba todas as bananas do Donkey Kong. O gorila precisa correr atrás de King K. Roll e derrotá-lo para recuperar o seu tesouro.

Talvez você tenha ouvido falar do Donkey Kong por causa das plataformas do SNES ou no Nintendo 64, mas não se engane, o bicho já é velho demais! A primeira versão (pasmem) foi lançada para o arcade em 1981 pela japonesa Nintendo. Na época, Donkey Kong era o vilão e o Mário era o Jumpman e ele tinha como missão resgatar uma donzela em apuros chamada Lady (hoje nomeada de Pauline) do gorilão. E não é que essa história deu um rolo danado para a Nintendo? A fabricante japonesa foi processada, na época, pela Universal Studios por plágio. Segundo a Universal, Donkey Kong havia violado direitos autorais de King Kong (acho que isso tá meio na cara, né?). Mas é vida que segue.

DK volta às telinhas em 1994 no Super Nintendo. Dessa vez, ele é o mocinho da história (e não tem o tio Mário) e quem produziu o jogo foi a produtora Rareware. O jogo lembra muita o formato do Mario World. Tem aquele mapinha maroto e o personagem vai andando em cima dele quando passa de um mundo para o outro e tem fase bônus e é aquilo: mata os bichos durante o decorrer do percurso, vai pegando as bananas, junta as letras e por aí vai. A lógica do game é a mesma, mas os gráficos e o som, meus amigos, ficaram ótimos!

A Rareware soube aproveitar muito bem o processador do SNES. Os cenários ficaram bem desenhados e coloridos, trabalharam muito nos personagens e nos seus movimentos (não tem como não rir dos trejeitos do DK e companhia limitada) e a trilha sonora é algo que não enjoa. O sucesso foi tão grande que Donkey Kong Country vendeu mais de 9 milhões de cópias em todo o mundo, ganhando o título de jogo mais vendido do SNES (tirando o Mário, que já vinham com o console), o que rendeu uma trilogia no SNES e a participação em outros jogos, como o Mario Kart.

E aí, ficou interessado? É só acessar o link para jogar ou assistir os vídeos.

Até a próxima!

Para jogar os jogos, basta clicar no link

Jumpman (1981)

Donkey Kong 1

Donkey Kong 2

Donkey Kong 3

Long Play do Donkey Kong 1

Long Play do Donkey Kong 2 

Long Play do Donkey Kong 3

Gostou do conteúdo?


Curta a nossa fanpage no Facebook:  
e siga-nos no Twitter:  

O Metranca agora está aceitando conteúdo enviado pelos leitores!
Confira em: https://coletivometranca.com.br/contribua-com-o-metranca/

Veja Também

Adolfo Bonucci
Sobre Adolfo Bonucci 8 Artigos
Possui formação em jornalismo pelo Bom Jesus Ielusc. É atleta da seleção catarinense de Karatê e acadêmico de Educação Física. Ama ouvir música e conhecer novos sons e lugares. Sempre que pode, marca presença nos eventos de Metal, seja em festivais ou aquele showzinho underground no boteco da esquina. Ah! Perceberam, né? O seu gênero musical preferido é o Metal.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*