Sem imagem

Última chamada para o Armageddon Metal Festival (3 de maio)

Confiram o vídeo da “última chamada” para o maior festival de metal que Joinville já recebeu. A organização também já divulgou os horários das apresentações de cada banda que subirá ao palco montado na Expoville, no próximo dia 3 de maio. Palco Opa Bier 13h00 – Acefalia 14h20 – Dying Breed 15h40 – Doomsday Ceremony 17h00 – Expurgo 18h20 – Infamous Glory 19h40 – Mortuary Drape 21h20 – Grim Reaper 23h30 – Voivod Palco Armageddon 13h40 – Rhestus 15h00 – Sodamned 16h20 – Necrotério 17h40 – Kuazar 19h00 – Anthares 20h30 – MX 22h15 – Krisiun 00h45 – Kataklysm

Uncategorized

Jogar faz bem?

Muitos consideram o jogo, especialmente o videogame, como entretenimento inútil, ou algo como uma fantasia escapista. De maneira alguma vou desafiar esta noção, afinal, o jogo muitas vezes é exatamente isto mesmo, um escape de uma realidade complexa para um mundo que faça mais sentido. Ainda assim, a mesma acusação já foi feita aos livros, quadrinhos, cinema, música e TV. Todos estes já foram considerados como o arauto da perdição das novas gerações, que depois das inovações tecnológicas que permitiram a existência e popularização destas formas de entretenimento, seriam finalmente o motivo pelo qual o jovem ia jogar tudo pro alto e resolver fazer nada da vida. Ainda assim, o mundo continua mundo, e as limitações que nos impedem de nos entregarmos indefinidamente a qualquer escapismo que seja vem da própria realidade, principalmente das necessidades. Quando não há mais comida em casa, ou pior, teto sobre a cabeça, não dá pra continuar […]

Colunas

Minorias nos Quadrinhos: O casal gay (e robótico)

Quadrinhos desde a introdução do infame Northstar, nos anos 80, tem sofrido com personagens gays que existem só para dizer “eu sou gay”, e mais nada – certo que o Northstar se casou uns anos atrás, mas não muda que por anos ele foi o “cara gay que nunca deixava a tropa alfa esquecer que ele é gay”. E ele ainda assim é um avanço quando comparado ao primeiro personagem oficialmente gay da DC, o Extraño – um amontoado de clichês que nunca deveria ter sido publicado, e que morreu nas mãos de um vampiro aidético. As coisas melhoraram um bocado nos últimos anos, com representações excelentes tanto no mainstream (como a dupla Apollo e Meia Noite, da falecida Wildstorm, que costumavam ser casados e com uma filha adotiva; A Batwoman Kate Kane e a Questão Reneé Montoya, na DC (tragicamente, pelo madato editorial de Dan Didio, no novo 52 mataram a […]

Colunas

A queda que mudou os heróis para sempre

Em junho de 1973, as bancas de revistas e lojas de quadrinhos nos EUA recebiam um título com uma chamada bombástica. Estampada em letras garrafais, The Amazing Spider-Man #121 alarmava: NÃO É UM TRUQUE! NÃO É UMA HISTÓRIA IMAGINÁRIA – MAS O MAIS ESTRONDOSO E INESPERADO PONTO DE VIRADA EM TODA A VIDA DO CABEÇA DE TEIA! Ao mesmo tempo, o herói, exasperado exclamava: “Alguém próximo a mim irá morrer! Alguém que eu não posso salvar! Mas QUEM? QUEM?!”. À época, capaz assim alarmistas abundavam, e essa parecia mais uma chamada polêmica para vender uma revista que nada mudaria – afinal, essa era a época em que os heróis não falhavam, os vilões sempre perdiam, e nada tinha consequências. A revista, com roteiro de Gerry Conway e arte de Gil Kane, enigmaticamente clamava na primeira página que “não poderia contar o título deste conto”! Norman Osborn, o Duende Verde, que anteriormente não tinha lembranças de seus […]

Rio de Janeiro: Como esvaziar a dignidade

Por Taiane Carvalheiro* Fico lendo alguns comentários em redes sociais e penso: “que esvaziamento!”. É fácil julgar quando: o filho não é o seu, a casa não é a sua, o corpo não é o seu, quando a fome, a sede, o frio e a dignidade que se foram não estão relacionadas à você. Não quero saber quem está certo ou errado. Se é o dono do prédio ou as pessoas que tiverem dois, três filhos sem planejamento. Não quero saber quantos anos eles tem, nem se estão trabalhando ou se usam drogas. Não quero saber seus sobrenomes, nem seu grau de escolaridade. O que eu sei, e que me basta, é que são seres humanos e, nesse meio, algumas crianças, outros jovens, outros adultos. O importante: são seres que merecem o mínimo de dignidade. Eu também estou sendo, de certa forma, expulsa do Rio de Janeiro. Não posso pagar um aluguel, […]

Level Up: Titanfall

Por Francisco Maiochi* Neste mês tivemos o lançamento de um dos jogos mais aguardados dos últimos tempos, para XBox One, PC e XBox 360. Titanfall, produzido pela Respawn de Call of Duty, e distribuído pela EA, nos coloca em campos de batalha cheios de pilotos mestres do parkour, armados com pistolas com balas teleguiadas e metralhadoras de mini mísseis e, chamando dos céus, os incríveis Titãs, máquinas de combate gigantescas, disparando granadas, balas antitanque e rajadas elétricas em seus inimigos durante batalhas frenéticas. Com gráficos excelentes, jogabilidade rápida, bons servidores no Brasil, o jogo é a mais moderna reedição do velho polícia e ladrão, nosso velho favorito da infância. Falemos das semelhanças: 1. Assim como no nosso velho conhecido, estamos falando de poder. O enredo do jogo é irrelevante, tanto que é quase impossível montar uma equipe para jogar o modo Campanha, que se encontra virtualmente deserto. Um lado leva o nome […]

Colunas

Capitão America: O soldado Invernal – Um épico de crítica aos EUA.

Uma coisa diferente desta vez: ao invés de falar de quadrinhos diretamente, o objeto de hoje é um filme – de quadrinhos, mas ainda assim um filme. Segurei o tópico até esta semana, pois não queria comentar antes da estréia nacional (aqui na Dinamarca estreou já tem duas semanas e meia). Com vocês, Capitão America: O soldado Invernal Não vou fazer segredo que sou um fã imenso do Cap – minha monografia foi sobre ele, para dar um exemplo – e não teria como fazer uma crítica imparcial do filme. E pelo estudo todo para a monografia posso afirmar que há um desconhecimento muito grande sobre o personagem, centrado naquela velha e batida ideia do Capitão America como “O campeão do imperialismo americano” e “o ícone do capitalismo”. Temi, em partes, que graças ao dom hollywoodiano para estragar boas coisas este terminasse como o abismal The Ultimates, de Mark Millar (que envolvia o Capitão America berrando “Desistir? Desistir?! […]

Dois vídeos que te farão pensar na vida

No meio desta chuva de informações que recebemos diariamente, principalmente nas mídias sociais, existem alguns vídeos ou textos que até nos causam um tipo de choque. Um choque que nos faz ver o mundo de uma forma diferente. Então, abaixo, dois destes vídeos que não mostram nada que seja novidade, mas resumem, e muito bem, algo que fazemos de conta que não vimos diariamente. El Empleo (The employment) El Empleo é o curta metragem que está girando o mundo todo, vencedor do Festival de Berlim. O vídeo argentino é um símbolo que representa a ‘pirâmide’ do mundo do trabalho atualmente. Man Animação de Steve Cutts que busca mostrar o caminho do homem pelo mundo, seu senso de superioridade sobre todos os seres e seu lado egocêntrico.

Colunas

Minorias nos comics: O negro genial, Mister Terrific (DC)

Pela segunda vez e nem de longe a última, vou tratar de minorias em comics – desta vez, um dos raros casos de super heróis negros, e ainda mais raros casos onde ele não é tribal, do gueto, “zangado”, ou um ex-criminoso. Com vocês Michael “Mister Terrific” Holt. De uma maneira geral, super heróis negros se encaixam em duas grandes categorias: o “negro zangado” – melhor representado pelo Power Man/Luke Cage, mas que também incluí a grande maioria dos heróis negros “de legado”, onde a principal característica é que ele é negro, está cansado disso e não vai mais aceitar essa palhaçada, enquanto o cúmulo disso é Rage, um personagem da Marvel que é… um Hulk negro, pobre, e com uma máscara de Luchador (nunca disse que as coisas faziam sentido). O outro é o “herói tribal”, onde a fonte dos poderes, o tema, e a origem do herói é “a África mais densa”, […]

Os Simpsons na Copa do Mundo

Todo mundo já deve estar sabendo do novo epsódio de OS Simpsons, né? Para quem não estiver ligado, eles “vieram ao Brasil”, novamente. Desta vez, a sátira foi em cima da Copa do Mundo. No epsódio, o Homer Simpson atua como árvitro de futebol em um ambiente dominado pela corrupção. Sobrou até para o Neymar, que foi “homenageado” com o famoso “cai-cai”. Querem conferir o epsódio? Então só baixar a partir deste link: Os Simpsons no Brasil (Copa do Mundo) – Wetransfer