Coluna Livre

Nota de repúdio sobre as agressões do assistente do Gorgoroth

Antes de mais nada, gostaríamos de frisar que esta nota do Coletivo Metranca tem a intenção de esclarecer e alertar a comunidade do metal sobre situações que não podem ser admitidas em qualquer tipo de festival. O fato que se decorreu na noite de sábado (9/12), na Fazenda Evaristo (na cidade de Rio Negrinho), durante o Maniacs Metal Meeting, levantou  diversos questionamentos e expôs muitos problemas que qualquer evento está passivo de enfrentar.  Entretanto, esta nota tratará da situação principal, que envolve as agressões do assistente de palco/segurança norueguês da banda Gorgoroth. Outros desdobramentos e questionamentos dos envolvidos se darão em caráter particular, com ou sem acionamento dos meios legais.  Por questões jurídicas não anunciaremos o nome do agressor, pois isso se dará no âmbito legal com fotos, vídeos e depoimentos das testemunhas. Segue: 1) O Coletivo Metranca estava credenciado com quatro profissionais para atuar no registro do festival. A cobertura se […]

Artes Visuais

Museu Sambaqui de Joinville às escuras

De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região – Sinsej, há seis meses o Museu Sambaqui está sem as lâmpadas necessárias na área de exposição. Quem chega para visitar o local precisa forçar a vista para conseguir enxergar as peças e as explicações dentro das vitrines. Com a proximidade das férias, é provável que os visitantes locais e turistas encontrem a exposição totalmente no escuro. Ainda segundo a categoria, os trabalhadores também relataram que nas áreas internas há mais lâmpadas queimadas. Prefeitura:  Ao ser questionada sobre a situação,  a Secretaria de Comunicação respondeu: “A Prefeitura de Joinville informa que está sendo providenciada a compra das lâmpadas para atender a necessidade do Museu de Sambaqui. Está sendo elaborado o edital para o processo licitatório para atender essa necessidade”, mas não informou prazos para  efetivar as ações.

Destaques

Caminhada e Corrida Beneficente mobiliza alunos da Escola Internacional de Joinville

A prática de atividades físicas e a adoção de hábitos saudáveis vêm adquirindo cada vez mais adeptos. Os alunos da Escola Internacional de Joinville aproveitam todos os anos essa carona e unem a prática do “bem” ao conceito. A 3ᵃ Helping Hand – Caminhada e Corrida Beneficente acontecerá no dia 3/12, às 8 horas, e todo o lucro das inscrições será doado para Centro Esportivo para Pessoas Especiais (CEPE). A corrida será dividida nas categorias 4km e 8km, a caminhada 2km e 4km, além de um circuito Kids. Durante as provas, será disponibilizado espaço kids para as crianças, para que os pais ou responsáveis possam participar do evento. Além de medalhas para todos os participantes, os três primeiros lugares da corrida 4km e 8km, masculino e feminino, ganham troféu e voo panorâmico de helicóptero. Serviço 3ᵃ Helping Hand – Caminhada e Corrida Beneficente Dia: 03/12/17 Horário: 8h Local: Escola Internacional de Joinville (R. Henrique Dias, 250. Anita Garibaldi) Inscrições Escola Internacional […]

Coluna Livre

Tatuadores terão que pagar ISS em Joinville

Após a notícia de que serviços como Netflix e Spotify seriam taxados, agora é a vez dos tatuadores e piercers. O novo projeto do ISS do município, já aprovado pelos vereadores, prevê novas cobranças do tributo, o que fará que tatuadores e piercings paguem também a taxa. A alíquota será de 5%, a mais alta dentro do projeto do ISS. Vejam todos os serviços citados no novo projeto clicando aqui

Destaques

Última semana da exposição “Registros da clausura: o Abrigo Municipal de Alienados Oscar Schneider”

Fonte: Memórias da Loucura em Joinville Você já foi visitar a exposição “Registros da clausura: o Abrigo Municipal de Alienados Oscar Schneider”? A exposição conta, em grande parte, com fotografias e documentos encontrados no acervo do próprio Arquivo Histórico de Joinville e foi organizada por Luiza Klueger, arquivista do local, e Mariana Zabot Pasqualotto, pesquisadora sobre o tema. O quê: Exposição “Registros da clausura: o Abrigo Municipal de Alienados Oscar Schneider” Quando: Até 30 de junho, de segunda à sexta-feira, das 8h às 18hs. Onde: Arquivo Histórico de Joinville.   Na foto tirada durante a visita mediada na exposição estão Fatima Hofmann e Jackson Corrêa (ao centro) que contribuíram para o acervo de fotografias da exposição; Ademir Leopoldo Veridiano, uma das testemunhas da existência do prédio, quando esse existiu como morada para policiais militares; e Mariana Zabot Pasqualotto, pesquisadora sobre o Abrigo de Alienados.

Geral

Servidores estaduais em educação de Joinville paralisam suas atividades no dia 30

Em decisão unânime tomada na assembleia estadual da categoria, servidores em educação de Joinville paralisam suas atividades no dia 30 de junho. Os trabalhadores são contra a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista, a Reforma do Ensino e as terceirizações. Entre as pautas locais, encontram-se o recreio monitorado e o “Sábado da Família”. Ainda no dia 30 de junto, os servidores em educação de Joinville realizam uma assembleia às 14 horas, na sede do Sinsej – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região. A paralisação acontece na Praça da Bandeira. Release enviado por: Coordenação Regional – Sinte/Joinville

Colunas

Joinville rumo ao Bicentenário | Artigo de Ana Carolina Moura

Por Ana Carolina Moura* Há algumas semanas, logo no início do ano, após voltar de férias, me foi pedida uma tarefa, que a princípio achei bastante interessante: fazer uma redação sobre como eu pensaria na cidade para os próximos anos. Como Arquiteta e Urbanista, adorei poder colocar algumas ideias no papel, ainda que parecessem utópicas ou inviáveis. A ideia central do texto era se colocar no futuro, daqui a 25 anos, como um jornalista que fazia uma reportagem falando sobre o que fora feito na cidade nas últimas décadas. Apesar do texto fictício, procurei colocar algumas ideias bem plausíveis e exequíveis, por entender que esta era a função principal do texto. Como penso que o Planejamento Urbano de uma Cidade Inteligente deve ser feito com a participação popular (e eu só corroboro com ideias de urbanistas e autores renomados como Lynch, Jacobs e Gehl, este último com um ótimo site, o Making Cities […]

Sem imagem
Colunas

Döhler, contra-reforma e ocultamento

Por Dauto J. da Silveira[1] A terceira contra-reforma administrativa da atual gestão de Joinville foi um golpe, especialmente, para uma decisiva área da administração da cidade: a Fundação Cultural de Joinville (FCJ). Se considerarmos que por ela passava boa parte das ações administrativas jungidas aos desígnios de setores populares, de grupos mais ou menos institucionalizados e da ingênua intelectualidade de esquerda e no interior da qual havia núcleos técnicos de relativa autonomia político-administrativa, a reforma administrativa deve ser vista para além do seu ato. Afora isso, cabe observar duas cousas: i) o silêncio sepulcral da comunidade cultural, de toda ordem, em face da reforma e ii) o fato segundo o qual ela ter menos a ver com questões fiscais, de eficiência, etc e mais com as questões de um governo de talho autoritário, cuja vitalidade está no controle sistemático de toda e qualquer forma política. No tocante ao silêncio voluntário, algo curioso […]