Artes Visuais

Museu Sambaqui de Joinville às escuras

De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região – Sinsej, há seis meses o Museu Sambaqui está sem as lâmpadas necessárias na área de exposição. Quem chega para visitar o local precisa forçar a vista para conseguir enxergar as peças e as explicações dentro das vitrines. Com a proximidade das férias, é provável que os visitantes locais e turistas encontrem a exposição totalmente no escuro. Ainda segundo a categoria, os trabalhadores também relataram que nas áreas internas há mais lâmpadas queimadas. Prefeitura:  Ao ser questionada sobre a situação,  a Secretaria de Comunicação respondeu: “A Prefeitura de Joinville informa que está sendo providenciada a compra das lâmpadas para atender a necessidade do Museu de Sambaqui. Está sendo elaborado o edital para o processo licitatório para atender essa necessidade”, mas não informou prazos para  efetivar as ações.

Artes Visuais

Cortes na pele, feridas na alma

Por Rubens Herbst* Depois do bullying, Vanessa Bencz faz novamente uso dos quadrinhos para discutir outro tema delicado: a automutilação na adolescência Vanessa Bencz ainda carrega as marcas de uma pré-adolescência difícil. Elas estão visíveis no seu braço: os cortes feitos por ela mesma quando tinha 13 anos, uma reação extrema aos seguidos abusos emocionais na escola, às pressões e a timidez. Pois a escritora e jornalista joinvilense não apenas superou os traumas como os transformou em munição para sua obra literária. Mais do que isso, fez deles uma causa a ser discutida por toda a sociedade, especialmente entre os jovens, onde o bullying e a automutilação se propagam como fogo em mato seco e ainda carecem de discussão série e aprofundada. O primeiro tema virou a história em quadrinhos Menina Distraída (2014), que multiplicou o número de palestras que Vanessa dava em escolas desde 2012 e fez dela uma espécie de […]

Artes Visuais

Instituto IMPAR encerra as atividades de 2017 com três dias de programação cultural gratuita

Diálogos Arte para Todos, apresentação da peça Doze Trabalhos e Workshop de Dramaturgia e Teatro de Rua com o Coletivo Impar de Teatro integram a agenda realizada no Teatro do SESC Joinville e Instituto Internacional Juarez Machado   Em 2017 o Instituto de Pesquisa da Arte pelo Movimento – IMPAR completou 6 anos de atividades e promoveu diversas apresentações, eventos, encontros didáticos, oficinas, vivências artísticas e muitas outras ações e projetos. E para fechar o ano com muita arte e alegria, os integrantes do Instituto organizaram uma programação especial de final de ano: * Dia 30/novembro – 15h: Diálogos Arte para Todos no Teatro do SESC. * Dia 1º/dezembro – 20h: Apresentação da peça “Doze Trabalhos”, com o Grupo de Teatro Arte para Todos, no Teatro do SESC. *Dia 2/dezembro – 9h: Encerramento do projeto Cidade, Arte e Pessoas, com o Coletivo Impar de Teatro, no Instituto Internacional Juarez Machado. A programação é gratuita […]

Artes Visuais

Ajote recebe a 2ª edição do Encontro de Palhaç@s de Joinville

A Associação Joinvilense de Teatro encerra o ano com uma programação repleta de atrações. Além de peças de grupos teatrais da região, no mês de dezembro o galpão da Ajote será palco de espetáculos que fazem parte da segunda edição do Encontro de Palhaç@s de Joinville e vai reunir artistas de várias cidades do Brasil. A agenda inclui a estreia nacional de “Maffalda dos Reis no Caminho dos Indígenas”, do grupo As Marias da Graça, do Rio de Janeiro.  A apresentação será no dia 2, às 20h30. Outra estreia marcada para dezembro é Avoando, e Cantando e Seguindo o Coração, da Cia As Mareadas, de Balneário Camboriú. O espetáculo, que ocorre no dia 3, às 20h30, tem direção de Lia Motta e também integra a programação do Encontro de Palhaçaria, realizado com o apoio da Ajote. Via Santa Cultura Comunicação Criativa   Confira a programação completa: Espetáculo: Por 3 Fios Sinopse: Uma profecia, um rapaz […]

Artes Visuais

Polenguinho: “Haters” confundem referência ao Pink Floyd com arco-íris LGBT

Aonde chegamos? Uma simples postagem da marca Polenguinho está gerando discussões na Internet. O motivo? Tem gente confundindo uma homenagem ao Pink Floyd com incentivo ao debate sobre questões de gênero. A empresa publicou uma montagem do famoso queijo Polenguinho com referência ao prisma do Pink Floyd, capa do disco The Dark Side of The Moon. Logo após a publicação, diversos usuários começaram a atacar a empresa dizendo que o post se tratava de uma incitação a “ideologia de gênero”. A empresa precisou até publicar um adendo explicando o post: “Nossa equipe criativa teve como inspiração a capa do álbum The Dark Side of The Moon, da banda Pink Floyd, para “brincar” com o conceito de fominha, tão utilizado quando o assunto é Polenguinho. Prezamos pela paz, pelo respeito e pela igualdade em nossa comunidade aqui. Embora não tenhamos feito alusão ao movimento LGBT+, temos máximo respeito pela causa. Contamos com todos […]

Artes Visuais

Eau Salée Festival: surfe, arte, cinema e música

Evento será dia 7 de outubro no Bovary Snooker Pub Apreciar a arte. Sentir a música. Se emocionar com o cinema. Com o surfe é conexão, adrenalina e calmaria. Para quem gosta de todos esses elementos não pode perder o Eau Salée Festival, celebrando o que há de melhor em um único dia: surfe, arte, cinema e música. O evento está marcado para o dia 7 de outubro no Bovary Snooker Pub. Foi a água salgada que conectou três jovens apaixonados pelo surfe e com o evento conseguiram mostrar ao mundo o que os move, os motiva e faz querer viver cada segundo como se fosse o último. Gustavo Piaz, Petterson Thomaz e Lucas Bittencourt, da Buena Vibra Entertainment, apresentam a terceira edição do Eau Salée Festival, pioneiro em Santa Catarina quando o assunto é festival artístico envolvendo o surfe. Realizado sempre em outubro, o Eau Salée pretende mostrar para todos as mais fascinantes vertentes que o surfe […]

Artes Visuais

Casa Iririú recebe Impar em dose dupla

Sábado (7/10) a opção é teatro com o espetáculo “Doze Trabalhos” e no domingo (8/10) tem estreia de dança com “Lembro do teu gesto como uma oração”. Entrada gratuita.   O Espaço Cultural Casa Iririú abre as portas para receber dois projetos do Impar – Instituto de Pesquisa da Arte pelo Movimento – em um único fim de semana. Neste sábado (7/10), o Grupo de Teatro Arte para Todos apresenta a peça “Doze Trabalhos”, com destaque à intérprete de Libras e total acessibilidade para pessoas surdas, e no domingo (8/10) tem estreia da experimentação coreográfica “Lembro do teu gesto como uma oração” reunindoquatro artistas conhecidos no universo da dança catarinense: Amarildo Cassiano, Érika Rosendo, Maria Fortuna e Angélica Maiole. As as apresentações são às 20 horas com entrada gratuita. Ambos os projetos têm apoio cultural do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura – Simdec, Secretaria de Cultura e Turismo e Prefeitura de Joinville.   Sobre os espetáculos: “Doze […]

Artes Visuais

Em julho, Joinville se torna o principal palco da dança no país

35º Festival de Dança de Joinville traz estreia da Cia. Deborah Colker para Noite de Abertura. Evento ocorre de 18 a 29 de julho, 12 dias que fazem de Joinville – a capital nacional da dança – o palco para personalidades artísticas e bailarinos de 17 estados brasileiros, do Distrito Federal e do Paraguai e Argentina   Com 35 anos ininterruptos de atividades, chancela de maior festival de dança do mundo em número de participantes segundo o Guiness Book, histórico de público em torno de 4,5 milhões de pessoas e número recorde de 3.326 trabalhos inscritos em 2017 (6,8% a mais que na edição anterior). Este é um recorte que consolida o Festival de Dança de Joinville como rota turística e cultural no mês de julho para amantes desta arte. São 12 dias em que a cidade com o perfil tipicamente industrial, do maior polo econômico de Santa Catarina, se transforma em um palco […]

Artes Visuais

Videoinstalação no Sesc encara as relações sobre a fragmentação da paisagem

Organizada pelo artista Tirotti, a exposição “Partilha da Imagem” busca uma reinterpretação do visitante com a forma de enxergar e absorver imagens – ou até estar em estado de “imersão” perante a isso, como o o release do evento descreve. Essa reinterpretação de imagens se dá através do recorte de partes das três videoinstalações – Movimento Vazio, Movimento Quieto e Movimento Aprisionado – e cada qual é suspensa e sobre-exposta na obra original, gerando assim um estímulo cognitivo para descobrir detalhes sobre aquilo que está sendo observado. Exposição “Partilha da Imagem”, de Tirotti (Joinville/SC) Visitação: 12/05 a 30/06, de segunda a sexta das 8h às 20h Local: Galeria de Arte do Sesc. Rua Itaiópolis, 470 – América Entrada gratuita

Artes Visuais

Literatura indígena na Feira do Livro

Via Santa Cultura Entre tantas e diversificadas atrações, a Feira do Livro de Joinville traz logo no começo da sua programação, dias 8 e 9 de junho, um dos mais influentes e atuantes artistas indígenas do Brasil, Cristino Wapichana, para falar do tema “O que vocês conhecem do indígena brasileiro?”. Natural de Boa Vista (RR), além de escritor e contador de histórias, Cristino também é músico, compositor e cineasta, tendo acumulado vários prêmios nacionais nessas áreas. Com projetos como “Leve um Escritor Indígena na sua Escola”, “Indígenas” e o “Encontro de Escritores e Artistas Indígenas – este com outro grande nome da cultura indígena, Daniel Mundurucu – o artista teve inclusive o reconhecimento nacional, com a indicação ao Prêmio da Ordem do Mérito Cultural, da Presidência da República. Cristino tem sido convidado para falar da temática indígena em diversas universidades e eventos não só no Brasil, mas em países como Inglaterra e França. […]

Artes Visuais

Clã do Subúrbio está gravando novo disco.

Por Grazi Tillmann Desde 2015 o Clã do Subúrbio está trabalhando no seu novo cd, Tóxico Ao Sistema. Com previsão de lançamento para maio, a versão física do álbum trará 16 faixas; no qual 12 delas já estão finalizadas. O novo som é produzido pelo Estúdio 2K. O nome Tóxico Ao Sistema surgiu com influência de um incêndio químico ocorrido na cidade em 2013, causando 3 dias de desespero por conta da fumaça que encobriu o céu de vários bairros na região. As músicas trazem letras de posição forte ao que pensam da sociedade: “a gente tentou abordar bastante coisa, como a crítica ao governo, contra o sistema”, fala Malévigo, integrante do grupo. Os 5 integrantes, Malévigo, Dézão, Orbital, DJ Stat e MC M estão juntos desde 2012 e também tem um estúdio, o Calabouço Produções, onde produzem beats e algumas músicas próprias e de outros rappers da ilha. Eles costumam se […]

Artes Visuais

CADAver – Grupo joinvilense promove encontro de performance

Com o objetivo de motivar a produção artística de Joinville e região, o grupo (CADA)VER promove o seu primeiro encontro de performance urbana. O grupo selecionará quatro projetos locais, além de outras iniciativas convidadas que serão confirmadas em breve. A equipe CADAver auxiliará os selecionados em todo o processo de produção das ações e divulgação das performances. As inscrições terminam no dia 25 de fevereiro e as ações estão programadas para ocorrerem entre os dias 16 e 18 de março. A inscrição é gratuita e cada grupo selecionado receberá uma ajuda de custo no valor R$100. O projeto foi idealizado por Taiane Carvalheiro, joinvilense que mora na Argentina e cursa o mestrado em Linguagens Artísticas Combinadas na Universidade Nacional de Artes (UNA), de Buenos Aires. A curadoria já anunciada na página do grupo também conta com a participação de Natasha Álvarez, equatoriana e pesquisadora em artes cênicas que também cursa o mestrado […]

Artes Visuais

Central Sistema de Som convida Gerson “King” Combo no Psicodália 2017

A banda Central Sistema de Som, de Curitiba, é presença confirmada no Psicodália 2017 com a participação pra lá de especial de ninguém menos que Gerson ‘King’ Combo, nome lendário do soul e do funk nacional. Em fase final da produção de seu terceiro álbum de grooves, a banda mostrará um repertório dividido entre as suas criações e as composições de Combo. Funk 60’s/70’s (nacional, americano e africano), Afrobeat, Reggae Roots, Dub e Música Popular Brasileira são vertentes que dão suporte às composições autorais da banda, buscando expressar artisticamente, através de grooves e ideias, a miscigenação natural dos grandes centros urbanos. Essa pesquisa e mescla de gêneros e sonoridades vintage resultam em um som autêntico, atual, que dialoga com diferentes nichos e faixa etárias. Gerson tornou-se conhecido ao gravar, em 1977, um álbum clássico da música black brasileira, sintetizando a chamada ”onda black” do fim dos 60 e 70 no Rio de […]