Banda The Mad Dorothys lança EP, confira

Neste ultimo domingo a noite já corria boatos de que a banda The Mad Dorothys tinha novidades pra contar para os quase 200 “curtidores” da sua página no Facebook. Eram poucas informações e uma foto tirada no estúdio Takeout:

Soundcloud | Bandcamp | Lastfm | Facebook

Na segunda-feira (22), as meninas da banda compartilharam seu primeiro EP, contendo três faixas inéditas.

A banda, formada em janeiro deste ano, possui musicistas de peso. Noemi Conrado, baterista, Kethlen Kohl, na guitarra, Mariana Barcellos Bittencourt, baixo e Claudya Lins Campos, no vocal.

O Coletivo Metranca conversou com Kethlen e Noemi, conheça um pouco mais sobre as meninas e o som delas:

Coletivo Metranca: Como surgiu a banda e porque o nome The Mad Dorothys?
Kethlen: Não sei – hehehhehe – Noemi queria ser a Dorothy e disse que só assim seu sonho iria se realizar…

Coletivo Metranca: Como se interessaram e iniciaram na música?
Noemi: Sou envolvida com música desde criança, comecei a ter banda com 15 e não parei mais, fiquei em off de banda por uns 8 anos mas nunca parei de estudar música.
Kethlen: Me interesso por música desde pequena,quando escutava Molejo e É o tchan. Comecei a tocar violão aos 13 anos, desde então gosto de tocar instrumentos musicais.

Coletivo Metranca: Quando e como surgiu a ideia de lançar um EP de suas músicas próprias?
Noemi: O EP veio da procura de pessoas em conhecer a nossa banda, e como ainda não estamos fazendo muitos shows não temos muito material, e pra poder divulgar e trocar idéia com pessoas envolvidas no meio.
Kethlen: A ideia de lançar um EP surgiu logo no inicio da banda, quando criamos as primeiras músicas.

Coletivo Metranca: De onde surgem as inspirações para as composições?
Noemi: Olha, a inspiração vem das coisas que vivemos mesmo, nossas piras alcoólicas e coisas q acreditamos, ou vai da vibe do momento mesmo rs.
Kethlen: As inspirações para criar as letras e a melodia, surgem do nosso próprio cotidiano, das coisas que acontecem no dia a dia.
Elas também surgem quando usamos álcool e assim por diante, quando estamos em um estado de espírito insano, surgem as melhores ideias.

Coletivo Metranca: Quais são suas influências musicais?
Noemi: Ah eu escuto muita coisa, e tudo é influência pra criação, não apenas musical mas a arte em geral… A banda tem muita influencia de rock alternativo, The Biggs, Sleater Kinney, Human trash, L7, Bjork, Bikini Kill, Juliett and The Licks, nirvana, Cage the Elephant… Enfim, muita coisa!
Kethlen: Temos influencias de diversas bandas como Sleater Kinney, Cage the Elephant, RVIVR, Warpaint e Daniela Mercury, que influenciou na nossa sexualidade…

Coletivo Metranca: Quais os planos para a banda?
Noemi: Ah, os planos é se divertir, conhecer gente nova, dar role por ai, sempre fazendo um som sincero e gato! hehe
Kethlen: Ficar famosa e dominar o mundo …

 

Gostou do conteúdo?


Curta a nossa fanpage no Facebook:  
e siga-nos no Twitter:  

O Metranca agora está aceitando conteúdo enviado pelos leitores!
Confira em: http://coletivometranca.com.br/contribua-com-o-metranca/

Veja Também

Metranca
Sobre Metranca 134 Artigos
O Coletivo Metranca é um portal que trata de comunicação e arte. Formado em Joinville, Santa Catarina, o coletivo surgiu em 2011, como opção e espaço para atender demandas do setor cultural da região.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*