Música

Cassandra é a dose de metal lento e distorcido do Maniacs Metal Meeting

O duo curitibano Cassandra, formado por Daniel Silveira (baixo/voz) e Karina D´ Alessandre (bateria), tem como proposta um Sludge/Post Metal cheio de distorção, batidas arrastadas e reverb. Na estrada desde 2014, o Cassandra já realizou diversos shows na região sul e sudeste. A banda conta com o álbum Antumbra (2015) e atualmente está trabalhando na gravação do segundo álbum.  

commando 47
Música

Banda joinvilense Commando 47 se apresentou no programa Showlivre

O Commando 47, banda da cidade que está em atividade desde 2013, se apresentou no Release Showlivre, um programa para novos talentos do canal. Seu mix de peso e melodia; samplers e guitarras; metalcore, new metal e rap é até que bem original se comparado ao cenário do rock pesado de nossa cidade. O Showlivre é uma produtora de conteúdo digital especializada em música ao vivo. As apresentações dos artistas que aparecem por lá são transmitidas pelo Youtube, Facebook e Portal Terra, e depois disponibilizadas no canal da produtora e em serviços de streaming musicais.

Música

Welcome to Terreiro: o lendário Gangrena Gasosa é uma das grandes atrações do Maniacs Metal Meeting 2017

Formada no início dos anos 90, no subúrbio carioca, a banda Gangrena Gasosa é uma mistura de metal com pitadas de hardcore e macumba. Usando entidades da umbanda no palco, eles produzem uma música diferente que conquistou espaço dentro e fora da cena independente. Essa fusão cultural – nomeada pelos próprios integrantes como Saravá Metal – foi algo totalmente original dentro do meio headbanger, pois sempre houve a difusão do som de bandas nórdicas com temática pagã, mas é raro ver grupos que utilizam elementos de religiões afro-brasileiras (e que, de fato, sempre gerou um grande temor aqui no Brasil em quem está por fora dessa cultura). Eles são conhecidos também por jogar despachos de encruzilhada, galinha, cachaça e farofa no público durante seus shows. Em entrevista ao TripTV, a banda se gaba de sua fama: “Esse lance de incomodar é bom porque a gente acaba incomodando todo mundo. A gente já […]

Cinema

Festival Internacional de Curtas-Metragens de Joinville tem início nesta terça-feira

É proposto para este Festival Internacional de Cinema uma programação extensa, oferecida diretamente para comunidades carentes, associações de bairros, clubes sociais e uma variedade de espaços municipais e comunitários com dificuldade de acesso a estes produtos e dinâmicas cinematográficas. As sessões estão divididas conforme a imagem acima e o catálogo completo da grade, informações sobre os filmes selecionados e sinopses podem ser conferidos no site do festival

Destaques

Confira a programação completa da Cena 13, a Mostra de Teatro de Joinville na AJOTE

Cena 13 – Mostra de Teatro de Joinville começa em setembro Evento será de 17 a 24 e faz homenagem para a Dionisos Teatro A abertura da Mostra, iniciada às 20h do dia 17 no Galpão do Teatro da Ajote, foi com o grupo Andrea Padilha Produções, de Florianópolis, apresentando a peça A Garota da Capa. Itajaí e Canelinha também marcam presença no evento ao lado de diversos grupos joinvilenses. Detalhes e maiores informações sobre ingressos podem ser obtidos no site da AJOTE; além disso, é bom ficar atento aqui e aqui para acompanhar fotos e publicações sobre o evento. A Cena 13 – Mostra de Teatro de Joinville já tem data: de 17 a 24 de setembro o Galpão de Teatro da Ajote, a AAPLAJ, a Cidadela Cultural Antarctica e o Teatro Juarez Machado receberão peças de diversos grupos não só de Joinville, mas também de outras cidades do Estado. Serão […]

Dehors
Trajeto Alternativo

Dehors: tensão, caos e contemplação do ruído vertiginoso

O que é o Dehors? Qual o propósito de tal? Por que o ruído? Estas perguntas acima são fundamentalmente desnecessárias, visto que, a parcela de “pistas” que traçariam o conceito de cada obra do projeto(?) não parece necessariamente trazer algo concreto ou que possa apresentar alguma clareza sob o que é ouvido. Mas, aí fica outra questão muito mais importante a respeito disto: qual o motivo para buscar respostas tão objetivas? Simplesmente não há. No primeiro álbum (dehors), por exemplo, todas as faixas estão dispostas em numerais crescentes (1., 2., 3., 4.) e possuem a mesma duração (2 minutos e 36 segundos), além de, apesar de uma gravação de campo aqui e acolá, apresentarem uma rispidez tipicamente punk e timbres sísmicos à la black metal. O black metal é uma forma de punk. No lançamento posterior, The Black Metal Mixtape, já conseguimos notar o anseio pela ruptura. A utilização da ideia de […]

Barulho Novo

Barulho Novo – Programa #04

Programa vinculado ao vivo no dia 15/07/2017 Esta é a quarta edição do Barulho Novo, o primeiro e único (até agora) programa da Web Rádio Coletivo Metranca. A edição dessa semana é mais bruta, sem trilha-sonora de abertura ou qualquer esmero adicional (e NÃO está sujeita a atualização para melhorias). Vocês ouvirão muito nu-jazz gostosinho, música eletrônica #dobem, aquele punk podrão, black metal tr00 kvlt, entre outras cositas aqui; claro, com o horrível sotaque caipira de Giovanni Cabral. A playlist de hoje é: Denzel Curry feat. BADBADNOTGOOD – Sick & Tired Mitch & Mitch & Kassin – Esperando Danilo Letrux – Hypnotized Integrity – I am the Spell Booji Boys – Confess + Control Vazio – Monumentos da Decadência Crurifragium – Crucified Bastard Forest Swords – Arms Out

Coluna Livre

02/08: Dia Nacional do Combate à Humanidade

(O Homem É um Cão Urinando) Demorei alguns dias para digerir o texto que o Marcus escreveu e publicou aqui no Metranca, mas, após debater com amigos sobre o tema em questão, tive que concordar com a análise feita – o que é algo difícil para mim próprio, um otimista convicto. Nessa mesma época onde estive por refletir sobre como a humanidade é tão fraca de espírito e como a ética é literalmente pisada há tempo por nós (sim, nós mesmos), esse evento caiu sob meus olhos, e se encaixa perfeitamente na discussão. E, veja bem, isso está longe de ser um mero protesto cibernético (vide a nota de divulgação abaixo); basicamente é a nossa mesquinhice de cada dia retratada, a mesma que sempre buscamos dar de ombros quando somos afrontados com a possibilidade da existência de tal. “Mais um 02 de agosto se aproxima e em 2017 convocamos todos os correligionários […]

Barulho Novo

Barulho Novo – Programa #02

Programa vinculado ao ar no dia 01/07/2017 Esta é a segunda edição do Barulho Novo, o primeiro e único (até agora) programa da Web Rádio Coletivo Metranca. Aqui, houve um maior esmero na qualidade ao editar (pero no mucho). Todos os sons dessa edição tem uma coisa em comum: são altamente psicodélicos (independente o estilo ou forma). O programa conta com, claro, o horrível sotaque caipira de Giovanni Cabral. A rádio pode ser ouvida em https://coletivometranca.com.br/radio-coletivo-metranca/ A playlist desse programa é: Esmectatons – Ato Quarto (slightly Autistic) – Ficam os Vendedores de Picolé e Refri Lata da Praia de Nudismo Também Pelados? Arca – Reverie Power Trip – Executioners Tax BK – Caminhos Jupiterian – Mine is yours to Drown in (Ours Is the New Tribe) Kelly Lee Owens – 8 King Gizzard and the Lizard Wizard – Han-Tyumi and the Murder of the Universe

Barulho Novo

Programa Barulho Novo #3

Esta é a terceira edição do Barulho Novo, o primeiro e único (até agora) programa da Web Rádio Coletivo Metranca. Essa edição é mais bruta, sem trilha-sonora de abertura ou qualquer esmero adicional (sujeito a atualização para melhorias). Vocês ouvirão muito noise romântico, música eletrônica triste, anarcho-punk, entre outras cositas aqui; claro, com o horrível sotaque caipira de Giovanni Cabral. A playlist de dessa edição é: Varg – Champagne Ceremonies CarbonKid87 – Toda Vez Que Eu Me Levanto Eu Me Vejo Caindo Tigre Dentes de Sabre – Sonic Device to Open Star Portals Institute – Exibitionism Dercy – Matinho da Vila Cassandra – Previsão 05 (Primália Sentença) Jefre Cantu-Ledesma – A Song of Summer

Música

De Joinville, Hailom Bruno traz um rap sem firulas em Alvo de Mudança

O Coletivo Metranca destacou a tempos o quanto a cena do rap joinvilense é ativa e forte (leia aqui). E claro, isso não possui e nem necessita de qualquer apoio superior para continuar existindo; o rap é uma maneira de se expressar totalmente autêntica e que carrega o DIY (“faça você mesmo”), pois cresce naturalmente na mente de cada um que é influenciado por ele para que essa gana se transforme em rimas e atinja ainda mais pessoas. Hailom Bruno está entre esses nomes que se inclui no movimento do rap joinvilense. Na ativa desde 2004, no qual esteve entre os membros do grupo Impacto da Rima, também fundou, em 2005, o coletivo artístico Ramal 047 – responsável por apoiar, produzir e divulgar a cultura de rua na nossa cidade. De lá pra cá, Hailom esteve sempre envolvido na cena, e até lecionou aulas onde o próprio dividia a sua experiência na […]

Coberturas Fotográficas

Emoção e senso de realidade aflorados no show do Síntese em Joinville

Se tem uma forma de cultura que permanece marginalizada e totalmente restrita ao underground em Joinville, isto com certeza é o rap. Historicamente, o rap sempre fez parte da cultura das ruas, servindo como arma de resistência, voz para quem mais precisa ser ouvido e ferramenta conscientizadora para todos – e é exatamente por isso que aquele rapper que demonstrou apoio ao Bolsonaro, em suas letras, mereceu total repúdio possível (nem tenho que explicar melhor o porquê, né?). Mas o que é necessário destacar é que essa chama permanece viva, apesar de nem sempre ser tão clara aqui em nossa cidade; graças, principalmente, a batalhas de duplas que acontecem no bairro Guanabara, no Centro (praça Nereu Ramos) e no Jardim Paraíso (na Lanchonete do Mano), geralmente organizadas pelos grupos Batalha de Paraíso e Ramal 047. Falando no Ramal 047, foram exatamente eles os responsáveis por pela vinda de Síntese (o projeto do […]