Para teus olhos

Amo do cheiro ao torpor Como se fosse único certeiro   Sigo teu jeito de flor Me entrego do abraço ao remendo   Até costurar o enredo Desde que tenha no teu peito meu braço Na tua mão meu laço e cabelo   Caminho do jeito que for Entrego meu peito pro teu abraço Na tua mão meu amor e anseio  

Ocupa Rock – Direitos Humanos e Música pelo Dia Mundial do Rock

Questionar é uma das características do Rock. Pensando na música como uma ferramenta de conscientização e luta, movimentos e entidades de Joinville estão organizando o primeiro Ocupa Rock, que ocorrerá dia 12 de julho, domingo, na Cidadela Cultural Antárctica. O festival contará com seis bandas locais, DJs, bancas e exposições artísticas, a partir das 15 horas. A principal intenção da organização é promover um evento crítico para conscientizar a galera do rock sobre a necessidade de um cenário anti-racista, anti-fascista, anti-machista e pró LGBT. Evento:https://www.facebook.com/events/832280536868728/   Programação – Ocupa Rock Data: 12 de julho Local: Galpão Central da AAPLAJ Horário: a partir das 15h Entrada Gratuita Bandas: Andarilhos Atormentados (rock nacional/autoral) Rock a Queima Roupa (rock/grunge) Mad Dorothys (HC/alternativo) Bloody Mary – Una Chica Band (SP) (rock alternativo) Workstinks (rock anos 90/2000) Miopia (funk/rock) + DJ Sérgio Paralelo + Bancas + Exposições

Bunda

Sinto o vento no rosto, meus olhos cerrados, já não escuto mais nada… Sai do meio da rua filha da puta! Quê é isso mãe? Vixe tem de tudo nesse mundo! Deve sê de teatro, coisa pra televisão. Alguém faz alguma coisa? Tem um carro da polícia ali ôh… Chama ele! Uma puta dor no dente aparece exatamente um dia depois de ir ao dentista e ele dizer que meus dentes são perfeitos, que eu não deveria me preocupar com o fato da pequena prótese ter caído, afinal era pelo lado de dentro, não era estético e tão pouco faria diferença. Na verdade não faria diferença pra ele. Mas eu percebia muito bem a diferença milimétrica no meu dente. A língua percorre de forma obsessiva o espaço existente. Não sinto a superfície lisa do dente, meu problema é esse! Não posso viver passando a língua no dente que era liso e agora […]

O encontro… Diante do mar!

O encontro… Diante do Mar!   Com: Gisele Becker e Alberto Ferreira Direção, Cenografia e Figurino: Lucas David   A montagem teatral aproxima a vida de Américo Vespúcio, um italiano do século XV que era mercador, navegador, geógrafo, cosmógrafo e explorador de oceanos) e da dona América, uma pescadora nascida em Joinville, hoje com 71 anos de idade, que ainda conduz sua bateira pelas águas da Baía da Babitonga. O espetáculo trabalha muito bem a História, fazendo contrapontos e analogias entre a vida da rica família Vespúcio e da humilde e festiva família de pescadores Amaral. Desconstruindo visões machistas encontradas na obra de Américo, com a força e a  determinação de América em sua vida e luta como pescadora. A História local, trazendo elementos de Joinville, principalmente, do Morro do Amaral, onde dona América mora até hoje, traz uma vontade de revisitar estes locais para quem conhece e vontade de conhecer para os que não conhecem. Você ainda pode assistir a peça, […]

Joinville recebe comemoração pelo Dia Mundial do Malabarismo

Joinville recebe neste sábado (20), o segundo encontro em comemoração ao Dia Mundial do Malabarismo. O projeto conta com atrações, competições e palco aberto. Esta é uma iniciativa da Companhia Circo Lúdico e ocorrerá na Praça Nereu Ramos, a partir das 11 horas.  As atividades contam com artistas locais e convidados que virão de São Paulo e Curitiba, como os malabaristas Paulo Caverna (SP) e Ricardo Thomé (PR). De acordo com Luciano Himmer, integrante da Cia. Circo Lúdico, esta é uma oportunidade de Joinville também mostrar a sua arte para o mundo. Haverá também um cortejo de abertura do evento, que terá concentração na Praça da Bandeira, seguindo até o local das apresentações (Praça Nereu Ramos). A data, instituída pela Associação Internacional de Malabarismo (Internacional Juggling Association/IJA) é comemorada em várias cidades pelo mundo. Confiram o registro em vídeo da primeira edição do evento em Joinville clicando aqui. DIA MUNDIAL DO MALABARISMO […]

Colunas

Mad Max: a estrada da desconstrução

O filme está quase saindo de cartaz, e finalmente estou lançando o artigo… Quando Mad Max: A Estrada da Fúria ainda estava para sair, houve um chororô de grupos machistas sobre o o filme de George Miller ser “propaganda feminista” e “um ataque aos homens”. Tendo visto o filme, tenho que dar razão ao chororô: para quem se apega veementemente ao ideal do “homem de verdade”, de fato o filme é um ataque – e isso não é um demérito. Mad Max, o filme original de 1979, junto com sua continuação de 1981, The Road Warrior, são praticamente o molde do gênero pós apocalíptico. Longe de serem a primeira obra do tipo (esse troféu vai para o livro The Last Man, da inglesa Mary Shelley, em 1826), Mad Max traz tudo aquilo que se pensa quando se fala em “pós apocalíptico” – incluindo a estranha associação do gênero com fantasias de poder […]

Exposhape – Exposição reúne shapes criados por designers, tatuadores, grafiteiros e outros artistas

Exposhape revela as imagens das ruas e dos estúdios da cidade (Assessoria de Imprensa) A Exposhape reuniu designers, tatuadores, grafiteiros e outros artistas de Joinville e pediu-lhes que dessem suas versões mais originais para a mesma prancha de skate. Os shapes criados foram reunidos em uma exposição que abre em 13 de junho na Square Skate Shop e, ao longo das duas semanas seguintes, mostra como os diferentes estilos de cada convidado compõem o panorama visual deste circuito que vai da rua ao escritório, do estúdio às pistas da cidade. Bruno Bilbo e Mariê Balbinot explicam que a Exposhape nasceu da vontade de juntar talentos do design, da tatuagem, do graffiti, da ilustração e das artes visuais em torno de um mesmo projeto. Ao longo do mês de abril os organizadores entregaram 25 shapes para um grupo de artistas convidados, mas à medida que mais pessoas se interessaram pelo desafio e o […]

Sobre espaços “irregulares”: as igrejas também podem…

Este não vai ser um texto aprofundado, nem nada do gênero. Apenas uma provocação para o debate. Estes tempos ouvi falar de uma reportagem sobre um padre que não queria pagar uma multa por som alto ou afins (se alguém lembrar do caso compartilha aqui). Na época eu até pensei em fazer um texto sobre, mas achei que não valeria o debate, porque afinal, era só uma multa por som alto. Mas hoje, após ler esta rápida reportagem sobre a missa que será realizada em um local em construção, não pude perder a oportunidade. Vou bater mais uma vez nesta tecla. Quem trabalha com o setor cultural sabe o quão difícil é realizar um evento em Joinville, então eu fico preocupado quando vejo alguns setores específicos organizando eventos deste porte sem passar pela mesma “dificuldade”. Desta vez não é só som alto, desta vez é um local em construção. Imaginem fazermos um […]