Sem imagem

O que cabe numa Cidadela Cultural

Amanhã, sábado, dia 30 de agosto, rola reunião do movimento Cidadela em pauta, que, desde o início desse ano, tem debatido a situação da Cidadela Cultural Antarctica e a necessidade do cumprimento da lei do Plano Municipal de Cultura, que prevê que aquele seja um espaço destinado exclusivamente para a cultura. É importante que, nesse debate, percebamos a cultura da forma mais ampla e abrangente possível. Que consideremos a cultura para mto além do espetáculo. Economia criativa (design, moda, games, arquitetura, etc.) é cultura. Grafite é cultura. Cosplay é cultura. Flashmob é cultura. Capoeira é cultura. Boi de mamão é cultura. Artesanato é cultura. Arte digital é cultura. Gibi é cultura. Body art é cultura. Os âmbitos da etnia, do gênero, da orientação sexual, daquilo que define uma identidade, tb são cultura, como, aliás, reafirma o próprio Plano Municipal de Cultura. O mesmo vale em relação às tribos urbanas, às chamadas subculturas […]

Grupo “Cidadela em Pauta” marca nova reunião

Neste sábado, dia 30, o grupo Cidadela em Pauta, criado por artistas e entidades locais se reunirá novamente para debater a atual situação da Cidadela Cultural Antarctica e seu processo destinação. Recentemente, a polêmica ganhou um pouco mais de força em virtude da decisão do poder público municipal realocar a Secretaria de Proteção Civil (Seprot) para dentro da Cidadela. O encontro será no galpão da AAPLAJ, que fica dentro da Cidadela, próximo ao Parque das Águas, a partir das 17 horas.  O impasse já foi tema de um texto publicado aqui no site do Coletivo Metranca: “É o Bonde da Ocupação (Cidadela Cultural Antarctica)” De acordo com a Lei Municiapl 7.258/2012, o Plano Municipal de Cultura exige que o espaço da cidadela seja utilizado exclusivamente pelo setor cultural. De acordo com representantes do grupo Cidadela em Pauta, uma consulta pública será realizada na próxima semana para definir os parâmetros de ocupação da Cidade. A […]

Enquete: Militarização do Ensino

Após alertas das Secretarias de Educação e de Segurança Pública, o governo de Goiás firmou uma parceria entre os dois setores para “militarizar” o ensino. De acordo com matéria publicada no portal da BBC Brasil, a administração de 12 escolas estaduais já estão nas mãos dos militares, mas a parte pedagógica continua sob cuidados da Secretaria da Educação. Gostaríamos de saber o que os leitores do Coletivo Metranca acham desta medida. Deixem seus comentários sobre o tema: Você é a favor da militarização escolar? (polls)

Colunas

Uma homenagem ao rei – Kirby Genesis

–Acreditamos em Super Heróis, porque no fundo, acreditamos em nós mesmos. Em 1994, o mundo dos quadrinhos perdia um dos seus melhores: no dia 6 de fevereiro, uma falência cardíaca tirava a vida de Jacob Kurtzberg, ou como melhor era conhecido, Jack “King” Kirby. Poucos na arte sequencial tiveram uma influência tão grande – e tamanha demora para terem seu merecido crédito. Entre homenagens, prêmios (tanto recebidos quanto batizados em sua homenagem, como o Hall da Fama Jack Kirby e os prêmios Jack Kirby), citações e referências estilísticas, seu traço único, criatividade inigualada e – acima de tudo – forte idealismo e crença no conceito do super-herói como “a nova mitologia” e a representação dos anseios e aspirações da humanidade tem um lugar fixo no mundo dos quadrinhos. Não que Kirby sempre tivesse sido bem tratado: apesar de ter sido responsável direto por boa parte do elenco da era de prata da Marvel […]

Santiago, Valparaíso, Viña del Mar e a vontade de ficar

Uma vez me disseram: “Não há nada para fazer em Santiago, só passo nessa cidade porque é escala para meu voo”. Respeito a opinião das pessoas, mas entendo quando estão equivocadas. Há sim muito que fazer e ver em Santiago. Mas quando estamos dispostos a viajar e conhecer outras culturas não basta ver, temos que sentir. Essa é a diferença e talvez por esse motivo algumas maravilhas tenham passado despercebido por essa pessoa com quem conversei. A cidade tem um ritmo e uma atmosfera muito diferente para mim, mas tenho a sensação que falta uma peça do quebra cabeça, que eu ainda não descobri em Santiago ou que falta algo nesse meu sentir (mesmo estando na cidade duas vezes). Organização, educação, limpeza. Os carros param na faixa de pedestre, as ruas são limpas, os lugares bem cuidados. E por mais que existam conflitos nas manifestações, a polícia não é corrupta como no […]

Lembram da Sofix?

Lembram da Sofix? A indústria Sofix de parafusos que ficava atrás da Arena? Pois então, estive lá neste domingo de tarde, visitando o espaço onde trabalhei por quase três anos, como auxiliar de almoxarife.  Foi o meu primeiro emprego com carteira assinada, aos 17 anos. Eu era “Peão de fábrica”, com muito orgulho. Orgulho por ter aprendido na prática o que o tal do Marx falava sobre “mais-valia”, não por fazer parte do sistema em si. Eu poderia discorrer sobre estes anos e contar alguns causos da época, mas o que quero repartir com vocês são as imagens que fiz na tarde deste domingo. Não tenho como apresentar todas as linhas de raciocínio que tive ao ver a fábrica em pedaços e é por isso que vou citar apenas algumas referências, ao invés de escrever um texto enorme. Sim, acredito que o capitalismo seja um sistema em crise. As dificuldades deste modo […]

Colunas

As minorias nos quadrinhos: Whitewash Jones, Steamboat e a caricatura

Pois é pessoas… se antes, com o Senhor Incrível eu falei de um personagem negro feito de forma respeitosa (e ainda vou falar do Falcão, o primeiro super herói afro americano), hoje são outros quinhentos: conheçam Whitewash Jones, o um personagem recorrente negro de Young Allies, da extinta Timely Comics. O primeiro “herói” negro da editora que vinte anos depois se tornaria a Marvel surgiu em 1941 – e é um ótimo exemplo de como as representações de minorias mudaram desde então. Com traços exagerados a ponto de parecer saído de uma realidade diferente da dos outros personagens e um estilo de fala… “único”, Jones traz todos os pontos nefastos das caricaturas racistas de negros do começo do século passado: lábios gigantescos e destoantes, olhos esbugalhados, orelhas de abano quase simiescas… Jones fica na verdade a meio passo de ser um Gollywog ou um Pickaninny, e parece muito mais um caso de whiteface do que um homem negro. E em termos […]

Sem imagem

Artistas Locais

Coletivo Metranca divulga levantamento de artistas da região No início do ano, o Coletivo Metranca propôs uma pesquisa para mapear os grupos e artistas existentes em Joinville. O trabalho se deu pela Internet, através de formulários distribuídos em redes sociais e portais. A iniciativa tem como proposta coletar informações e disponibilizá-las no próprio site do Coletivo Metranca. O grupo acredita que este tipo de informação é extremamente importante para o setor e que iniciativas como estas podem estimular até o turismo cultural na cidade. BANDAS GRUPOS DE TEATRO GRUPOS DE DANÇA OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Sobre o projeto: Não conhecemos nosso próprio setor cultural e isso é preocupante. Não sabemos quantos grupos de teatro, dança ou bandas temos na cidade e isso é extremamente necessário para debatermos políticas públicas para o setor. O levantamento já possui algumas parciais: 13 grupos de teatro, 15 grupos de dança e 92 bandas já preencheram o cadastro. […]

Colunas

O retorno da ópera espacial?

Sim, mais uma vez eu vou falar de um filme de quadrinhos… me processem. Eu ia falar de Um Encontro com Deus e outras histórias de Cortiço, mas isso fica pra outro dia. Ia falar de Jojo na Inbyou na Bouken, mas eu ainda não terminei de ler. Ia falar de Zsa Zsa Zaturnnah, mas ainda não consegui fazer de maneira a não potencialmente ofender leitores e leitoras trans (é um quadrinho… controverso, no mínimo). Então vou falar de Guardiões da Galáxia, porque ainda estou no pique do filme. Ok? De todos os filmes produzidos pela Marvel, Guardiões era o que tinha mais desculpas para fracassar: sem nomes populares dos quadrinhos (até o vilão, Ronan, o Acusador, é um bocado obscuro. E não, Thanos não é popular, não entre o público leigo), sem ligação explícita com os outros filmes, e saindo do ambiente familiar da Terra, a proposta já era arriscada em si; mas com personagens como uma arvore falante (Groot, interpretado […]

Tirotti expõe Memória locus em Joinville

Release oficial: “Exposição circula por três cidades catarinenses O artista audiovisual Tirotti abre a exposição Memória locus no Galpão da AAPLAJ no dia 9 de agosto (sábado) e dá sequência ao roteiro de circulação que teve início em Blumenau em novembro do ano passado e se encerrará em outubro, depois de cumprir novo período de visitação no Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul. Com curadoria de Gleber Pieniz, Memória locus apresenta uma coleção de imagens impressas e projetadas associadas às lembranças do lugar, uma tentativa particular de emular os processos da memória a partir dos arquivos de vídeo do artista. Essa maneira de lidar com as lembranças em Memória locus inclui uma experiência prévia do lugar pelo artista, além de uma pesquisa sobre a história, as pessoas e o ambiente em que cada exposição é montada. Os registros dessa experiência recente passam a integrar um acervo que é usado […]

Música

Zombie Cookbook: Dr. Stinky fala sobre a gravação do clipe “Motel Hell”

No último final de semana várias imagens de zumbis e sangue correram nas redes sociais dos joinvilenses. As imagens são registros dos bastidores da gravação do clipe Motel Hell, da banda Zombie Cookbook, de Joinville. Confiram um bate papo rápido com um dos zumbis, digo, um dos integrantes da banda e algumas fotos da bagunça.  Coletivo Metranca: O financiamento para o clipe se deu através do Simdec, certo? Dr. Stinky*: Então velho… escrevemos o primeiro roteiro no ano passado e entramos com o projeto pra captação de recursos através do Simdec. Conseguimos a pontuação máxima, arrecadamos a grana e começamos a pré-produção, com tratamentos do roteiro, etc. etc. CM: Como funcionou a produção do clipe? Dr. Stinky: Contratamos uma empresa que pudesse fazer o trampo acontecer do jeito que tínhamos em mente (Sanguinário, com efeitos de pós-produção, croma, ilustrações, rotoscopia, etc. etc.) e esta ficou responsável pelas filmagens, direção, roteiro e etc. […]